...ditos, mitos & ritos...

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Candelária, a Festa da Luz, Imbolc ou Dia de Brígida

.
... ... ...
.

.
.
Após o longo sono a que esteve sujeita a edição deste "blogue" (na realidade, seria mais verdadeiro dizer que se trata de um clone de um outro_ que foi importado e reeditado_ com o mesmo nome), não poderia haver melhor tema para fazer regressar à palavra em página o "Ditos, Mitos & Ritos" do que esta celebração, vestigial de ancestrais festivais respeitando aos ciclos solares/lunares e que, como quase todos os que antecederam a cristianização, veio a sofrer uma forma de camuflagem que acabou por permitir a sua sobrevivência, ainda que sob outras vestes, ou com algumas alterações_ afinal talvez não de grande monta na sua essência.
Com efeito, de festa da tradição celta, Imbolc passou a ser celebrado como festa cristã, supostamente dedicado a Santa Brígida, e ainda sob outros nomes (Candlemas ou ainda Candelária) conforme a cultura, a língua e o país onde permaneceu nos calendários.
Actualmente, é possível encontrar a festa restaurada em grande parte da sua essência nos novos grupos auto-denominados neo-pagãos ou "Wiccan(ianos)".
Recorrendo a algumas dessas publicações, agreguei alguma informação, de várias fontes, que passo a expôr, sob a forma de excertos:


*(Novamente relembro, como nota, o facto de as datas e nomes destes festivais relativos ao ano solar dependerem do hemisfério em que têm lugar; assim, no hemisfério Norte, estamos a falar da data de início de Fevereiro, geralmente o dia 2)





A Festa da Luz, Imbolc ou Dia de Brígida



"Já se ouve lá fora um frenesim no ar, o murmúrio da Terra Mãe, que do seu longo repouso despertou e acorda agora todos as criaturas do seu reino que respondem ao seu chamado aguardando ansiosamente pelo regresso da Primavera.
Os dias começam a crescer e apesar do frio que ainda se faz sentir já se vê toda a flora a despertar. A roda do ano prossegue o seu ciclo tranquilo, aproximando-se gradualmente da Primavera.


Imbolc chegou e com ele a Esperança...


Imbolc, (pronuncia-se "imbolc" ou "imbolg"), festeja-se nos primeiros dias de Fevereiro (ou na primeira lua cheia em aquário, lembrando que o calendário celta era lunar e não gregoriano comoo nosso). Significa “em leite” e diz respeito ao período de lactação das ovelhas, quando as primeiras crias nascem e as mães as amamentam. Festival da Deusa enquanto virgem, é a festa da luz que cresce e da retirada da escuridão, marcando assim o ponto central da metade escura do ano.
Como todos os grandes "sabbaths" celtas é um festival do fogo, centrando-se este mais na luz do que no calor; é a centelha que penetra a escuridão do Inverno.
A Lua é o símbolo de luz da Deusa e representa o aspecto triplo de Donzela, Mãe e Anciã (encanto, maturidade e sabedoria). A luz da Lua é praticamente uma luz da inspiração, por isso tão associado à deusa Brigit (deusa celta da inspiração, dos dons, da fertilidade). O espírito é avivado assim como o corpo e a terra.
Foi a matriz da noite que nos permitiu crescer, passar uma nova iniciação na nossa evolução e agora preparamo-nos para o despertar.
Preparamo-nos então para novos recomeços nas nossas vidas, estação de purificação e de renovação. É tempo de limpar, lavar e purificar tanto fisicamente quanto espiritualmente, prepararmo-nos para dar mais um passo no nosso crescimento individual, afastando o antigo e o velho. É o despertar dos novos planos e projectos, da iniciação em caminhos espirituais ou em novas actividades, assim como de purificação e renascimento material e espiritual. É tempo de despertar a criatividade e buscar a inspiração através da música, poesia, desenho, dança ou qualquer outra arte...

Imbolc é um festival de esperança e confiança ; a altura do ano em que tudo parece morto, mas no entanto, debaixo da terra a vida emerge…
“Que Imbolc permita que nos mantenhamos fieis ao nosso caminho, às nossas responsabilidades em um todo de Amor para cada um de nós, independentemente das circunstâncias por vezes dolorosas da nossa vida."
Que Brigit nos traga inspiração e sabedoria, que Ela seja a nossa energia espiritual portadora de sabedoria, amor e prosperidade em todos os aspectos da nossa vida... e que o Deus espalhe a sua energia e luz sobre a terra fria, que ele nos proteja a todos e aqueça estas últimas semanas de inverno e com ele a esperança!" _
orava-se por esta época.


Imbolc - o crescimento da luz


_ Imbolg, Oimelc, Candlemas, Treguenda Lupercalia_
(HS: 01/02 de Agosto; HN: 01/02 de Fevereiro)


"Este Sabbath teve origem na antiga Irlanda, nas comemorações da deusa Brighid, Brigid ou Brigith, homenageada como a "Noiva do Sol". Apesar de ter lugar no auge do Inverno, este festival era dedicado ao aumento da luz e ao despertar das sementes enterradas na terra congelada. Na Roda do Ano, Imbolc é o oposto de Lughnasadh e festeja a Deusa como Donzela.
Imbolc ocorre seis semanas após Yule, simbolizando a recuperação da deusa após o parto da criança solar e a sua transformação em Donzela jovem e cheia de vigor. A Igreja Católica aproveitou o antigo significado pagão e transformou esta data na festa da Candelária, a Purificação de Maria. A própria deusa Brighid foi cristianizada como Santa Brígida e seu santuário foi transformado em um mosteiro de monjas.
Brigidh ou Bride (pronuncia-se Bríd), era uma Deusa Tríplice, regente da Inspiração (arte, criatividade, poesia e profecia), da cura (ervas, medicina, cura espiritual e fertilidade) e da Metalurgia (ferreiros, ourives e artesãos). Por ser uma Deusa do Fogo, era homenageada com fogueiras, rodas solares, coroas de velas e rituais que despertavam ou activavam o Fogo Criador. As lendas celtas descrevem-na como a Deusa em sua apresentação de Donzela tocando, com o seu Bastão Mágico, a terra congelada pelo Cajado da Anciã, despertando-a para a vida e aumentando a luz do dia.
O Sabbath Imbolc, cujo nome significa "apressar-se", celebrava o aumento da luz e a derrota do Inverno. Na véspera, todos os fogos e luzes eram apagados para serem reacendidos, ritualisticamente, com as brasas das fogueiras dedicadas a Brigith.
Neste dia, com a comemoração do Disting, os povos nórdicos "enterravam" a negatividade e as agruras do Inverno, acendendo fogueiras nas encruzilhadas e purificavam a terra, salpicando sal e cinzas sobre ela.
A versão romana deste Sabbath (que originou a Treguenda relativa na Bruxaria Italiana) era a Lupercália e os alegres festejos para as deusas Frebua, Diana e Vênus.
Na maioria das Tradições da Wicca, nesta data, são feitas as Iniciações dos novos adeptos e as Confirmações das Sacerdotisas. Por ser Brigith uma deusa da cura, padroeira das Fontes Sagradas, ela era invocada nos rituais de purificação e cura, sendo reverenciada nas Fontes a ela consagradas. Até hoje, em certos lugares da Grã-Bretanha e Irlanda, as pessoas amarram fitas ou pedaços de roupas nas árvores próximas às antigas Fontes Sagradas, actualmente dedicadas a Maria ou às santas católicas, orando para obter a cura dos seus males.
A atmosfera deste festival é marcada pelo despertar das sementes, dos novos planos e novos projectos, pela iniciação em um caminho espiritual ou em novas oportunidades, pela aceleração e renovação das energias, pela purificação e pelo renascimento material ou espiritual, pela busca de presságios e pela preparação para sua realização.
Imbolc é uma data propícia para despertar a criatividade e abrir-se à inspiração por meio da poesia, canções, narrativas, desenho, cerâmica ou dança. (...)
(Fonte: FAUR, Mirella)





Imbolc ou Oilmec é um dos quatro festivais religiosos celtas, é também um dos oito "sabbaths" da neo-religião Wicca. É o festival em homenagem à deusa Brígida (Briga, Brigidh e suas variações). É quando a terra está a recuperar-se do Inverno, e o Sol a fortalecer-se para a Primavera; por esse motivo, era este momento também referido como o da emergência da energia masculina no planeta_ e que o Sol simboliza. É a é
poca de festas alegres, tochas e fogueiras, comidas condimentadas e sumos e vinhos de sabores marcantes.


Também conhecido como Imbolc, Oimelc e Dia da Senhora, Candlemas, e até, já na tradição cristã, a Candelária, este é o Festival do Fogo que celebra a chegada da Primavera. O aspecto invocado da deusa nesse "Sabbath" é o de Brígida, a deusa celta do fogo, da sabedoria, da poesia e das fontes sagradas. É ainda a deidade associada à profecia, à adivinhação e à cura.

Esse "Sabbath" representa também os novos começos e o crescimento individual, sendo o "afastamento do antigo" simbolizado pela varredura do círculo com uma vassoura, ou vassoura da bruxa, tradicionalmente realizado pela Alta Sacerdotiza do "Coven", que usa uma brilhante coroa de 13 velas no topo de sua cabeça.

Na Europa, o "Sabbath" Candlemas era celebrado nos tempos antigos com uma procissão à luz de archotes para purificar e fertilizar os campos antes da estação do plantio das sementes e para glorificar as várias deidades e os espíritos associados a esse aspecto, agradecendo-lhes.

A versão europeia, francesa, cristianizada, da procissão de Candlemas honra a Virgem Maria e, no México, corresponde ao Ano Novo Azteca.


Incensos: manjericão, mirra e glicínia.Cores das velas: castanho, rosa, vermelho.
Pedras preciosas sagradas: ametista, granada, ónix, turquesa.
Ervas tradicionais associadas: angélica, manjericão, louro, benjoim, quelidónia, urze, mirra e todas as flores amarelas.
(in "http://pt.wikipedia.org/wiki/Imbolc"
Categoria: Wicca)




http://www.youtube.com/watch?v=pWDcBcwpqfU

... ... ...


http://www.youtube.com/watch?v=wLZ_2EvSu0M

.

Sem comentários:

Enviar um comentário