...ditos, mitos & ritos...

sábado, 31 de maio de 2008

As Cerejas _ Despedida de Maio....

..




.

As Cerejas _ Despedida de Maio...



É mesmo à saída do mês de Maio que dedicamos esta página à fruta símbolo da época que corresponde ao início do tempo quente, do mês em que se inicia o Verão conforme é ditado pelo calendário em uso, mas que o povo, surpreendentemente, usa para registar as reviravoltas do tempo, quando nos bafeja com ares de frescura já inusitada:" Em Maio, comem-se as cerejas ao borralho".
E pareceu-me, sobretudo este ano, que nunca houve, de entre as últimas décadas, mote tão verdadeiro, ainda por cima sem a referida surpresa, pois teve um prolongamento incomum. Enfim...
Já o "Borda d'Água" também enuncia:" Maio pardo e ventoso faz o ano formoso". A ver vamos...

Novamente com a ajuda de vários escritos que entretanto li, não há muitos dias, e contando com os conhecimentos mais fundamentados do que os meus sobre este fruto, vou apresentar algumas transcrições e considerações sobre o mesmo, suas particularidades e aplicações _ ou meras sugestões.



A CEREJA
.
O SÍMBOLO SABOROSO DA CHEGADA DO VERÃO

A cereja é, provavelmente, o fruto que reveste uma maior carga simbólica(pessoalmente, eu acrescentaria: em concorrência com a maçã e o morango...). Tanto nas civilizaçoes orientais como a ocidente, as cerejas sempre foram profusamente evocadas quer através das tradições orais quer das penas mais eruditas. Se as suas flores inspiram pureza e virtude, os frutos redondos e carnudos aludem ao prazer e à sensualidade, mas também à fartura e à celebração.
Em quase todas as línguas e culturas do hemisfério norte existem citações que comportam a expressão: "...como as cerejas..." que evocam o seu carácter irresístivel... A época das cerejas traz à memória imagens de infância, do início das férias escolares, de brincadeiras nos pomares, das meninas que se adornam de brincos de cerejas, dos rapazes que se empoleiram sob as copas, das cerejeiras das fisgas em punho à espera ds gaios ou melros mais incautos, das valentes dores de barriga causadas por comer as cerejas ainda quentes de expostas ao sol estival.
" Em Maio, as cerejas, uma a uma leva-as o gaio; em Junho, a cesto e a punho".

Estima-se que as cerejas datam do período pré-histórico e tiveram origem na Ásia. Terá sido Lucullus, o grande gastrónomo romano, o primeiro a falar de cerejas. Ele terá trazido para Roma alguns exemplares do então exótico fruto no regresso de uma campanha contra Mitridato IV Rei de Ponte, no actual norte da Turquia. Mais tarde, Plínio o Velho relatou que as cerejas só terão chegado a Itália em 74 a.C., corroborando a tese anterior, e que nos 120 anos seguintes se terá espalhado por toda a Europa até às lhas Britânicas. Descrevendo as diferntes variedades, enalteceu as cerejas da Macedónia, da Jónia e da Lusitânia. Em Portugal há muitas terras cuja fama vem das boas cereas que produzem: as de Freches (Trancoso), de polpa firme e rija que amadurecem tão de repente que os pássaros não têm tempo de as debicar; as do Douro Sul, de Resende que têm a reputação de serem as que primeiro amadurecem em toda a Europa; as do Alto Douro, de Alfândega da Fé ou do Fundão ede toda a Cova da Beira, as de S. Julião (DOP) Portalegre e as ginjas de Alcobaça que também são cerejas, mas bravas. A época das cerejas é bastante breve, na maior parte das regiões dura seis semanas, no máximo oito. É por isso importante que os consumidores lhes dêem a devida atenção durante este período e tirem o melhor partido de todas as virtudes desta fruta maravilhosa.

As cerejas frescas são, de todos os frutos, detentoras do recorde de concentração de caroteno (400mg/100gr), são muito ricas em vitaminas A, E e C e têm também virtudes laxativas suaves. Contêm, ainda, pectina, nitrato de potássio e uma variedade de acúcares como a levulose. O seu conteúdo em potássio confere-lhe propriedades diuréticas e as fibras estimulam o bom funcionamento dos intestinos.Os pés das cerejas são utilizados, em decoração ou para o tratamento das infecções das vias urinárias.

Nos Estados Unidos, o maior produtor mundial a seguir à Turquia, fala-se agora das propriedades anti-oxidantes da cerejas. Os médicos encorajam o consumo de cerejas durante o ano inteiro e a Associação de Produtores Americanos de Cerejas gasta importantes recursos a inventar novos modos de transformar o imenso stock de 280 milhões de toneladas produzidas anualmente, em subprodutos que possam ser consumidos ao longo do ano. A cereja é considerada o novo "super-fruto". Assim, vendem-se cerejas descaroçadas em calda, congeladas e em passa, cerejas liofilizadas em flocos, puré de cerejas, sumo natural e congelado de cerejas, barras energéticas de pasta de cereja...É verdade que os produtores portugueses precisam de optimizar os circuitos de distribuição e criar mais-valias à volta do fruto, mas os consumidores também devem tomar a iniciativa de utilizar as cerejas de outras formas que não só "ao natural". As cerejas podem ser consumidas de muitas formas distintas enriquecendo variadas preparações gastronómicas: um pouco de puré de cerejas, simplesmente esmagadas, misturado num iogurte natural e alguns cereais constitui um pequeno almoço tonificante; o sumo de cereja dá uma dimensão frutada e delicada ao molho de um assado decarne vermelha ou de aves; descaroçadas e cortadas em gomos dão frescura a qualquer salada verde; em "chutney" acompanham bem qualquer assado; salteadas em manteiga e glaceadas com vinagre balsâmico harmonizam-se perfeitamente com um "magret" de pato. Como sobremesa podem preparar-se deliciosos "clafoutis" de cerejas negras com caroço, tartes de cereja ou a famosa floresta Negra: um bolo de chocolate com cerejas, chantilly e lascas de chocolate preto.


A partir de Maio celebra-se a cereja no mundo inteiro. Existe um "site" alemão que junta todas as festas da cereja, mas que, curiosamente, não fala de nenhuma em Portugal. Fala da Festa de Traverse City no Michigan, a maior do mundo, e de outras seis nos Estados Unidos, de mais quatro na Alemanha, uma na Suiça e outra na Áustria, de duas na África do Sul, de uma em Jerte,na Estremadura espanhola e até do "Moussem des Cerises", o festival anual de Safrou em Marocos. Por cá, festeja-se a cereja em Resende, Alfândega da Fé, Fundão e Câmara de Lobos na Madeira.

Não deixe de comer cerejas enquanto é tempo delas. Esteja atento ao ciclo sazonal e à proveniência destes e de outros frutos para poder desfrutar deles nas melhores condições. A sua saúde agradece! "
(André Magalhães, em arjornal)


><>ooo<><

E é no próprio dia do Festival do Morango, que se celebra em Torres Vedras, que encerramos o mês de Maio, através da saborosa e colorida sugestão de dois "frutos vermelhos" _ actualmente no "top" dos alimentos mais benéficos para uma alimentação saudável _ a fazer a transição de uma fronteira temático-temporal que este espaço tem trazido por essas ondas afora...

Nota: Que tal uma receita _ explícita _ de uma tarte de ...cerejas ? Alguém aceita o desafio??

<> <> <>


Bom proveito!


Sem comentários:

Enviar um comentário